27 de janeiro de 2020
Vedovati Pisos Cavalo-saudável-480x333

7 dicas para manter seu cavalo saudável

Manter um cavalo saudável é desejo de qualquer pessoa que tenha ou lide com este animal magnífico no dia a dia.

Os cavalos são animais incrivelmente úteis para o trabalho no campo, para fins esportivos, esportes equestres ou mesmo para cavalgadas. São também animais fáceis de tratar e fazer amizade, sendo usados até mesmo em práticas terapeûticas read more

16 de dezembro de 2019
Vedovati Pisos Fisioterapia-Veterinária-480x360

Fisioterapia Veterinária para Cavalos: como garantir animais sempre saudáveis

Como você anda trabalhando a recuperação muscular dos seus cavalos após os treinos de musculatura ou trabalho no campo?

Assim como as pessoas, cavalos também tem sua musculatura desgastada após atividades físicas em determinada intensidade. E em alguns casos, é preciso que um trabalho mais específico seja feito para recuperar o físico do animal deste desgaste. read more

26 de agosto de 2019
Vedovati Pisos Cocheira-para-cavalo-480x360

Cocheira para cavalo ideal: camas tradicionais x pisos emborrachados

Escolher a cama adequada para as baias de equinos sempre foi um desafio para quem tem e ou cria cavalos. Além de pensar no conforto e o bem estar do animal quando estiver na cocheira para cavalo, outros pontos precisam ser considerados.

Dentre eles, o custo e a disponibilidade do material para a cama, assim como a manutenção e limpeza das baias dos cavalos

Garantir uma baia limpa, confortável e com uma boa cama é fundamental para manter a saúde e bem-estar do animal. O que é o objetivo é =&0=&.

Neste artigo, trazemos um comparativo entre as =&1=& (maravalha, serragem, areia, cascas de arroz) e as camas de borracha (=&2=&. E mostrar qual delas é a cama ideal em uma =&3=&.

Cama de maravalha

Vamos começar nosso comparativo de =&4=& com a mais tradicional delas, a cama de maravalha.

Baias/cocheiras com maravalha é muito popular em haras e nas hípicas do sul e sudeste, e milhares de criadores e ou apenas proprietários utilizam ao montar uma =&3=&. A maravalha tem como pontos positivos ser macia.

Mas é preciso ficar muito atento a cocheira do cavalo quando se utiliza maravalha ou outros materiais tradicionais. Os cavalos podem afastar a maravalha, assim como os outros materiais de camas tradicionais, para o lado e deitar sobre o contrapiso duro e áspero e ao se levantar machucar os curvilhões.  

Um cenário que pode prejudicar o cavalo, pois ele pode ferir os seus cascos por conta do contato entre a pata e o contrapiso de concreto.

Cama de areia

Outra cama tradicional para cocheiras é a cama feita com contrapiso e forrada com areia.

Ela consiste, geralmente, em uma cama que possui um contrapiso na baia do cavalo com um forro de 30 a 50 cms de areia de rio, muito comum nos estados do nordeste. Um detalhe é que praticamente todos os tipos de camas tradicionais para baias de cavalo são feitos assim.

Um contrapiso de concreto com 30 a 50 cms de cobertura do material específico.

Voltando a cama de areia, ela tem em suas vantagens:

  • Praticamente gratuita (em geral paga-se apenas para o funcionário trocar a areia da baía);
  • Macia e natural para os cavalos deitarem.

No entanto, a cama de areia esconde diversos riscos para os cavalos. 

Um deles é a possibilidade do cavalo ingerir a areia vir a ter =&6=&. Um tipo de cólica que ocorre quando animal acaba ingerindo areia. A areia se deposita, por ação da gravidade, nas partes inferiores do intestino do cavalo, e ela não deslocada posteriormente. 

E isso pode causar dores crônicas assim como tornar a absorção intestinal do cavalo insuficiente.

Além disso, a areia também pode ficar com um cheiro desagradável por conta da absorção de urina e fezes do animal. Juntando moscas e deixando o cavalo desconfortável na cocheira.

Cama de casca de arroz

A palha ou casca de arroz também é um material usado nas camas tradicionais de =&7=&

17 de junho de 2019
Vedovati Pisos Mangalarga-Marchador-480x360

Como cuidar de um cavalo mangalarga marchador corretamente

O =&0=&é um dos  cavalos mais populares e queridos entre as raças de equinos criadas no Brasil.

Este equino é amplamente conhecido por características que expressam suas melhores qualidades. Como por exemplo a sua força, docilidade, resistência, agilidade e temperamento bastante ativo quando comparado com outros cavalos.

Em um artigo anterior deste blog, você pôde aprender =&1=&mangalarga marchador. Sua origem, história e principais características e aplicações para esta raça.

No conteúdo de hoje vamos aprofundar o tema, e mostrar algumas dicas essenciais para cuidar corretamente desta raça de cavalo.

Prepare e mantenha um ambiente adequado para um cavalo mangalarga marchador

Todo cuidado sério e bem feito com um mangalarga marchador, ou qualquer outra raça de cavalos, deve começar pelo ambiente onde o animal vai viver.

De modo geral, é importante verificar, já de cara, como está o clima e a ventilação da baia onde o seu cavalo ficará. Seu mangalarga marchador deve ser protegido da exposição a forte frio ou calor em seu local de descanso.

Além disso, a baia do cavalo deve sempre estar limpa e a escolha da cama do seu cavalo mangalarga  deve receber uma atenção especial. Para que seu mangalarga não tenha problemas de casco e alergia de a ele uma cama de borracha, que além de ser extremamente confortável os pisos emborrachados possibilitam uma higienização mais rápida e eficiente e você fica despreocupado em arrumar serragem.

O Estrado de borracha dura muitos anos, o que o tornou extremamente econômico, já a cama tradicional de maravalha, areia, casco de arroz é um custo eterno.

Começamos este post com o ambiente onde o cavalo mangalarga marchador viverá por uma simples razão. Sua qualidade é essencial para todo o desempenho, saúde e bem-estar do cavalo ao longo da sua vida.

Alimentação e hidratação devem ser levadas muito a sério

Os cuidados com a =&3=& vai muito além do que o tipo de alimento que o animal vai comer.

É preciso levar em conta outros fatores importantes para que a nutrição do cavalo seja acertada e supra suas necessidades. Esses pontos que devem ser levados em conta são a =&4=&, =&5=&.

Assim, um cavalo mangalarga marchador, por exemplo, que geralmente é destinado a atividades esportivas e do campo precisa de uma alimentação mais reforçada. Mas que não exagere ao ponto de tornar o cavalo obeso.

A hidratação também deve ser observada com cuidado, mantendo sempre a água que o cavalo vai beber limpa e fresca.

Cuidados com cascos e dentes do seu mangalarga marchador

Continuando com nosso conteúdos, cuidados com os cascos e dentes do seu cavalo mangalarga marchador devem ser levados em conta.

Desde sempre, os cascos dos cavalos foram alvo de maiores cuidados por conta de sua importância direta no desempenho do cavalo. No entanto, é cada dia mais importante cuidar também da dentição do animal.

Pois ela é fundamental para a que a alimentação do animal seja feita corretamente, e que ele absorva os nutrientes necessários para sua saúde.

Limpeza e escovação dos pelos do seu mangalarga marchador

Por fim, mantenha uma rotina periódica de limpeza do seu cavalo e penteie os pelos corretamente do mangalarga marchador.

Ou seja, mantenha um intervalo de tempo certo para dar banho no seu cavalo, assim como fazer a escovação da crina e demais pelos do seu cavalo.

Claro, é importante utilizar materiais apropriados tanto para o banho quanto escovação do seu cavalo.

Gostou deste artigo? Então assine nossa newsletter para receber conteúdos exclusivos com dicas para manter a saúde e bem-estar do seu cavalo sempre em dia.

Para saber mais sobre nossos =&6=&

5 de junho de 2019
Vedovati Pisos horses-394205__340-480x340

5 raças de cavalos mais criadas no Brasil

Existem diversas =&0=&no Brasil, mas você sabe quais são as mais populares e criadas pelo país?

Essenciais nas fazendas, os cavalos possuem uma série de utilidades. Eles são indispensáveis para o auxílio na criação de rebanhos por exemplo. Mas também podem são atrações em rodeios, leilões e grandes companheiros em atividades de lazer.

Eles podem até mesmo ajudar pessoas que passaram por eventos traumáticos a superarem seus problemas e sorrirem novamente pra vida, por meio da prática da equoterapia.

Neste artigo, conheça cinco das raças de cavalos mais populares e mais criadas no Brasil.

1# Quarto de Milha: a mais popular das raças de cavalos

Vamos começar com um dos mais populares cavalos do país, o =&1=&.

Essa raça é uma das mais presentes em todo mundo, somando ao todo 53% da população equina ao redor do planeta. Os cavalos da raça Quarto de Milha possuem uma genética com qualidade elevada e características morfológicas que os tornam bastante versáteis. O que os torna muito bons para o trabalho no campo

Sem falar que são cavalos bastante dóceis, robustos, velozes e difíceis de serem vencidos em provas equestres.

O maior evento anual dessa raça no Brasil é o seu =&2=&.

No Brasil, apenas para se ter uma ideia, os Quartos de Milha movimentaram =&3=&. Você pode saber mais sobre o Quarto de Milha neste artigo.

2# Mangalarga

Desde sua origem o Mangalarga é uma das raças de cavalos mais destacadas para o trabalho no campo e a prática de esportes.

Segundo a ABCCRM (Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga) estes cavalos têm como características principais:

  • Bom andamento
  • Docilidade
  • Resistência
  • Membros fortes e tendões nítidos

Este é um dos melhores cavalos de sela criados no Brasil, e seu principal evento no Brasil é a Exposição Nacional realizada pela ABCCRM (Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga).

3# Mangalarga Marchador

A terceira das raças de cavalos mais populares no Brasil é o Mangalarga Marchador.

Este é um dos cavalos mais fortes do Brasil, dono de uma boa resistência a parasitas e outras doenças. A raça é caracterizada, principalmente, por seu porte médio, agilidade, força, vigor e temperamento ativo e dócil.

O Mangalarga Marchador ainda é um cavalo que se adapta bem a qualquer clima ou terreno. É capaz de viajar por grandes distâncias sem se cansar e não demanda uma alimentação específica para crescer com saúde e força.

O maior evento dessa raça no Brasil é a Exposição Nacional, realizada em Belo Horizonte pela ABCCMM (Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador).

Quer saber mais sobre o Mangalarga Marchador? Então confira nosso post exclusivo sobre essa raça.

4# Cavalo Árabe

Outro cavalo que está entre as raças mais populares do Brasil é o Árabe.

Essa raça de cavalo é uma das mais valiosas e antigas de todo o mundo. Para ter uma ideia, o Cavalo Árabe têm evidências arqueológicas de sua existência desde cerca de 2.500 A.C.

Dono de um trote e galope rasteiro, assim como um temperamento ativo. O Cavalo Árabe também é uma raça dona de muita resistência física, o que permite a ela resistir a longos períodos de trabalho intenso com um mínimo de cuidados e alimentação.

Eles são especialmente amados por donos de fazenda, por conta da produtividade que eles têm no campo.

No Brasil, seu maior evento é a Exposição Nacional, realizada pela ABCCA (Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Árabe).

5# Crioulo

Presente em 22 estados do Brasil, o cavalo da raça Crioulo é muito popular por conta da sua resistência a temperaturas altas e baixas.

Este animal conta com uma grande força, resistência e saúde. É bastante habilidoso e apto para tarefas de lida, montaria e competições equestres. Sem falar que ele é muito dedicado e consegue percorrer grandes distâncias.

Tudo isso o faz um cavalo considerado como ideal para o trabalho com gado, montaria e enduro.

Seu maior evento anual, feito pela ABCCC (Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos) é o campeonato Freio de Ouro.

Agora é importante, antes de decidir pela criação de uma dessas raças de cavalos, saber como tratar bem deste animal.

Então saiba também como cuidar corretamente dos seus animais para garantir a saúde deles e o valor de mercado que merecem.

No link abaixo, você pode conferir um conteúdo exclusivo onde damos dicas para cuidar ainda melhor dos seus equinos.

➥ Quero saber mais sobre cuidados com a saúde e bem-estar de cavalos read more

20 de Maio de 2019

Manual de Limpeza de cocheiras com EBV

As camas de borracha para equinos são as últimas tendências em tecnologia para estábulos, por proporcionarem mais conforto e segurança para os animais, e economia em limpeza e gastos veterinários para os criadores/proprietários.

Neste manual, você encontra orientações para instalação do EBV – Estrado de Borracha Vedovati, limpeza e higienização do piso de acordo com as orientações do =&0=&. É importante que você leia atentamente para construir um ambiente mais completo para seus cavalos.

Importância da higienização e limpeza da baia

=&2=&

24 de abril de 2019
Vedovati Pisos baia-de-cavalo-480x360

Como fazer a limpeza da cocheira de cavalos corretamente

Manter a limpeza da cocheira é fundamental para garantir saúde, qualidade de vida e bom desempenho dos cavalos, afinal, esse é o ambiente em que eles passam grande parte do tempo. Apenas um dia sem esse cuidado já é suficiente para o local se tornar nocivo aos animais, devido ao acúmulo de fezes de urina que colabora para a proliferação de diversas doenças.

Como acomodação dos cavalos, a baia deve estar sempre bem arejada, limpa e confortável para que os animais possam descansar e se proteger. =&0=& Reunimos algumas dicas  para conservar a limpeza da cocheira e manter seus cavalos sempre saudáveis bem protegidos. Prepare suas luvas, botas e máscara!

Retire os resíduos duas a três vezes por dia

Limpe diariamente o piso para evitar o acúmulo de fezes e urina. Todo estrume retirado durante a limpeza da cocheira deve ser depositado em uma esterqueira, longe da baia ou pavilhão do haras para não atrair moscas e evitar a transmissão de doenças.

Mantenha os cochos e bebedouros sempre limpos read more

24 de julho de 2018
Vedovati Pisos H151315-F00001-C374-2000x0-480x360

Transporte de equinos tem regras do Contran

Medidas visam o bem-estar animal, entre elas a implantação de pisos antiderrapantes em reboques e caminhões

14 de julho de 2018
Vedovati Pisos Cavalo-quarto-de-milha-destaque-940x630-480x360

Cavalo Quarto de Milha: 8 motivos para você amar ainda mais

O cavalo quarto de milha é uma raça de cavalo que se destaca por sua rapidez em correr distâncias curtas. Acesse e saiba mais sobre essa raça!

3 de novembro de 2017
Vedovati Pisos raças-de-cavalos-480x360

Como cuidar de cavalos: Preparamos um guia completo para você!

Cavalos são grandes companheiros e muito divertidos, eles custam cerca de R$ 600 a R$ 1600 por mês, podem viver 30 anos ou mais, e muitas pessoas tem dúvidas sobre como cuidar de cavalos. Então se certifique de que está acomodando e alimentando-o de modo próprio, e dando o cuidado necessário.

Neste artigo você vai ver:

  • Cuidados com os pelos dos cavalos
  • Como cuidar bem dos dentes do seu cavalo
  • Como cuidar de cavalos mais velhos
  • Cuidados especiais com o cavalo
  • 7 dicas para compreender seu cavalo

O cuidado com os pelos dos cavalos

Existem alguns cuidados e procedimentos básicos essenciais para que o pelo do seu animal possa estar em boas condições de higiene e beleza, sendo estes ainda mais importantes para cavalos de competições ou exposições.

Primeiramente, é preciso escolher um local bem iluminado e arejado para cuidar do cavalo. Este, aliás, é um momento de grande importância entre o dono e seu animal, e que irá estreitar a relação de confianças entre ambos.

A escovagem é um dos procedimentos principais para que o pelo fique sempre brilhante e possa ser renovado. É aconselhável que seja realizada, com uma escoava dura, principalmente depois da cavalgada.Isso pode ajudar aliviar a tensão do animal, por conta da fricção parecida com uma massagem, além de retirar a sujeira.

Se seu cavalo fica no estábulo, você precisará tratá-lo diariamente para manter seu revestimento saudável. Você terá de desembaraçar a sua juba e rabo, e gentilmente tirar qualquer carrapicho que possa ter se formado.

  • Com um pente solte a lama seca ou outras sujeiras. Comece com uma escova mais grossa, e finalize com uma mais leve. Seja cuidados e use uma ferramenta de aliciamento mais leve na cabeça do cavalo e nas áreas ósseas das pernas.
  • Banhe o seu cavalo em dias quentes. Certifique-se de usar shampoo anti fungos. Com a água, o óleo na pele do seu cavalo é removido durante o banho. Você terá de banhá-lo quando não estiver chovendo, ou terá que colocar um cobertor a prova d’água nele depois do banho.
  • Penteie a juba usando um pente plástico com dentes largos. Certifique-se de desembaraçar onde for necessário com seus dedos. Não corte nenhuma parte da juba, pois demora meses para crescer. Evite puxar as partes embaraçadas, pois isso afina e encurta o rabo e a juba do cavalo.

Neste momento é preciso tomar cuidado com a região da barriga do animal, muito sensível, além de ser aconselhável não permanecer na região de trás do animal, sob o risco de coice.

Há produtos muito bons, a base de biotina e metionina, que podem ser passados no pelo para ajudar a fortalecê-los.

Existem ainda medicamentos específicos à base de vitaminas e que podem também contribuir para torna-los mais brilhantes e sedosos.

Os banhos são indicados sempre que possível, sobretudo depois que o animal percorrer certas distâncias, para limpar o seu suor e melhorar o aspecto visual.

É aconselhável o uso de sabão neutro, embora existam tipos de shampoos específicos e com melhores resultados.

Os cuidados com os pelos dos animais podem ser mais extensos e detalhados, de acordo com o grau de cuidado de cada dono. Há inclusive muitos cursos sobre o assunto no Brasil.

 

Como Cuidar Bem dos Dentes do Seu Cavalo

Inicialmente, a odontologia na Medicina Veterinária possuía uma aplicabilidade limitada: apenas para determinar a estimativa da idade dos cavalos. Atualmente no mundo todo e inclusive no Brasil, proprietários, treinadores e veterinários estão cada vez mais valorizando o exame e o tratamento periódico dentario de seus cavalos.

A Odontologia equina é uma área relativamente nova como especialidade veterinária. Na prática, ela busca proteger a saúde, bem-estar e desempenho atlético dos cavalos.

Distúrbios gastrintestinais, perda de peso, reação à embocadura, descarga nasal, aumentos de volume na face e mandíbula, fístulas faciais, dificuldade na mastigação, acúmulo de alimento na boca e até mesmo problemas considerados de temperamento ou doma podem estar relacionados com alterações da cavidade oral dos equinos.

A domesticação e confinamento cada vez mais precoce dos equinos, as subsequentes modificações dos hábitos alimentares, e a exigência cada vez maior dos cavalos de performance, alteram o desgaste e a manutenção natural dos dentes e levam a uma série de afecções odontológicas.

Torna-se muito importante a presença do médico veterinário na execução de exames periódicos, diagnóstico, monitoramento odontológico e tratamento clínico-cirúrgico apropriado, o que resultará em um animal mais saudável, com um melhor desempenho e muitas vezes também, prolongando sua vida.

Cavalos confinados não desgastam seus dentes da mesma forma que os cavalos que pastejam continuamente, pois os mesmos apresentam uma alimentação mais macia (grãos processados e fenos), requerendo desta forma, menos mastigação. Isto faz com que os dentes dos cavalos permaneçam excessivamente longos ou gastos de forma inadequada.

Devido à constante erupção e desgaste dos dentes, os exames orais completos devem ser realizados a cada seis meses, permitindo assim, que os cavalos tenham uma vida mais saudável e que possam trabalhar melhor.

 

Os problemas mais comuns encontrados nos exames orais

– Pontas, bicos e ganchos nos dentes. Necessitam de nivelamento e arredondamento pois machucam as bochechas e a língua, prejudicando o desempenho e a mastigação;

– Desconforto causado pelo dente de lobo. Este dente é vestigial, não tem função na mastigação mas pode ferir as bochechas e a língua ou entrar em contato com o bridão, podendo ser extremamente desconfortável. A extração desses dentes é parte da rotina do tratamento dentário;

– Problemas de má oclusão, isto é, do assentamento inadequado dos dentes superiores sobre os inferiores. É muito importante que se inicie os exames orais dos potrinhos o quanto antes, pois algumas vezes podemos observar problemas que podem ser resolvidos quando o animal ainda é jovem, prevenindo desordens que podem ser determinantes no seu futuro, seja em exposições ou competições;

O cavalo pode reagir ao desconforto e à dor através de movimentos com a cabeça, mordendo a embocadura, apresentando dificuldade principalmente nas manobras para os lados ou na tentativa de freiar o animal.

A manutenção dentária adequada além de fazer com que o animal responda melhor aos comandos, proporcionará uma boa oclusão dentária, o que auxiliará na trituração adequada e melhor mastigação e digestão dos alimentos.

Sendo assim, podemos afirmar que uma avaliação periódica dos dentes, feita por um médico veterinário, pode até mesmo diminuir o risco de cólicas. Além do bem estar do seu cavalo, devemos citar o conforto percebido na hora de montar, facilitando a condução do seu cavalo.

Enfim, um bom acompanhamento odontológico promoverá melhoras nos aspectos físico, mental e atlético, criando condições para que o seu amigo desenvolva todo o seu potencial.

 

Como cuidar de cavalos mais velhos

Cavalos mais velhos não precisam participar de corridas ou competições, manter os exercícios em dia traz muitos benefícios fisiológicos. read more

5 de setembro de 2017
Vedovati Pisos estábulos-para-cavalos-destaque-480x360

Pisos emborrachados para cavalos – Tudo o que você precisa saber!

É inegável que as camas e os pisos emborrachados para cavalos oferecem mais conforto e contribuem muito para a saúde do seu cavalo. Ao optar por uma cama emborrachada, você está garantido o bem-estar do animal e prevenindo doenças que podem ser causadas por camas de maravalha, serragem e  pisos por onde os cavalos normalmente andam feitos de cimento.

Quem possui cavalos sabe que uma das grandes preocupações é oferecer ao animal um ambiente confortável para que ele possa descansar, ser tratado e se locomover com segurança. E neste quesito, considerando também a manutenção das cocheiras, é imprescindível que os pisos dos corredores e baias sejam emborrachados.

Quando aplicados em corredores de passagem, no haras, baias ou outros locais, os pisos de borracha facilitam no cuidado do espaço e ajudam no conforto dos animais.

Benefícios dos pisos emborrachados para seu cavalo

Bastante conhecidos e utilizados na Europa e EUA há muitos tempo, os pisos emborrachados para cavalos foram introduzidos no Brasil pela =&0=& há mais de 20 anos.

A secura e a limpeza são essenciais para pisos equestres

Os pisos emborrachados para cavalos em baias possibilita a drenagem automática da urina devido aos “pés” na face inferior, por isso, oferece uma superfície que impede o acúmulo de umidade e minimiza os vapores de amônia, mantendo a superfície da cocheira seca.

Cavalos não gostam de ficar sobre pisos molhados. Além de ser uma preferência do animal, isso traz mais segurança. É por isso que a cama de borracha é a melhor opção para haras, hospitais veterinários, centros de treinamentos equestres e equoterapias.

A capacidade de manter a temperatura ambiente torna a cama e os pisos de borracha ótimo sistema de revestimento equestre

Como a cama de borracha não sofre variações de temperatura (como acontece com o concreto ou aço), ela oferece uma superfície mais agradável, assim, o EBV – Estrado de borracha em baias ajuda o cavalo a manter o corpo aquecido quando se deita, o que é imprescindível para o conforto do animal.

Maciez, flexibilidade e absorção de impacto são essenciais para pisos equestres

As patas e os cascos dos cavalos são as partes do corpo que primeiro recebem o impacto da corrida, de uma simples caminhada ou mesmo o suporte de seu peso. Por esse motivo, merecem cuidados especiais para evitar problemas futuros. Como os cavalos não usam tênis como você, forre com borracha os ambientes concretados por onde eles circulam.

Pensando nisso, o ideal é revestir baias com cama de borracha e corredores de baias com pisos de borracha (ou pisos emborrachados), pois eles são macios e absorvem o peso e o impacto dos cavalos, possuem design e tecnologia que garantem a maciez e flexibilidade por muitos anos. Além dos pisos, outra alternativa interessante é revestir as paredes das baias para absorver o impacto dos coices dos cavalos.

Os pisos emborrachados para cavalos são bons para você também

É importante lembrar que o EBV não oferece um piso limpo e confortável apenas para o seu cavalo, ele é bom para você também. Menos gastos com limpeza, menos reparos e manutenção são algumas das vantagens que você terá.

Pisos emborrachados nas baias de cavalos

Fazer a manutenção correta da baia do seu cavalo é a maneira mais eficaz e inteligente de reduzir seus custos e manter a boa saúde do animal.

Muito além de simples lavagem e troca de materiais, os cuidados com os detalhes na baia/cocheira podem prevenir inúmeras doenças, ampliam o bem-estar e conforto do cavalo e podem significar mais momentos de interação e afinidade com seu companheiro equino.

E um dos detalhes mais importantes da baia/cocheira é, sem dúvida, a =&1=& =&2=&. Responsável por suportar o peso do animal, juntamente com urina e esterco, a cama da baia precisa ser ao mesmo tempo resistente, flexível e de fácil manutenção.

Baias/cocheiras com camas tradicionais de serragem/maravalha, feno, areia ou palha são muito mais difíceis de limpar do que as com o piso EBV – Estrado de Borracha Vedovati, que oferece mais conforto, higiene e ajuda a prevenir doenças.

Com os pisos de borracha Vedovati o ambiente fica mais seguro para os cavalos, além de facilitar a higienização do local.

As principais características que tornam os pisos de borracha indicados para o local em que seu cavalo fica são a flexibilidade e maciez, que absorve o impacto causado pelos cascos dos animais, principalmente quando ferrados; a proteção para o piso de cimento, o que leva a uma redução nos gastos com manutenção; facilidade de instalação, já que são práticos e simples.

Manutenção da cama tradicional

É recomendável examinar a cama do seu animal no mínimo duas vezes ao dia, (isso vai depender do tempo que fica estabulado) preferencialmente de manhã e à tarde. Use o garfo para retirar o esterco e todas as partes da cama molhada pela urina.

Coloque tudo em carriola, que posteriormente será levada para uma esterqueira onde devem ser jogados estes restos.

A esterqueira deve ser localizada longe das baias para não atrair moscas e evitar a transmissão de doenças. Isto também evita que o odor se propague e deixe as cocheiras com um aspecto ruim tanto para você quanto para o animal, considerando que o cheiro da urina misturada com a serragem é ácido e desagradável.

Gases tóxicos como a amônia e metano causam irritação das vias aéreas além de deprimir a motilidade ciliar e retardar o mecanismo de clearance mucociliar, diminuindo a eficácia deste mecanismo de defesa (RUSH; MAIR, 2004), já que, de acordo com o médico veterinário Rodrigo Rolim, o cheiro forte da amônia presente na unira pode afetar o trato respiratório do animal, causar crises de tosse e desencadear doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

A médica veterinária =&5=& ressalta que as afecções do sistema respiratório são a segunda causa de queda de desempenho e afastamento dos equinos do esporte ou trabalho, ficando atrás somente das desordens musculoesqueléticas. A estabulação e alimentação a base de fenos predispõe os equinos a inalação de grande número de agentes irritantes as vias aéreas.

Quando alguma parte da cama for retirada, esta deve ser reposta com o mesmo material para =&6=& e problemas locomotores. Por exemplo: quando a serragem fica umedecida pela urina e esta for retirada, complete com a mesma quantidade e deixe tudo nivelado usando o próprio garfo.

Manutenção com a cama de borracha “EBV”

A cama de borracha é o único material que pode ter uma higienização diária eficiente. Assim como na cama tradicional, baias com =&1=& =&8=&

4 de setembro de 2017
Vedovati Pisos doencas-respiratorias-cavalo-480x360

Doenças respiratórias em equinos. Veja como evitar!

Nós já escrevermos aqui um artigo sobre como cuidar dos seus cavalos, mas você sabia que as =&0=& já são um dos =&1=& de atendimentos veterinários?

Em grande parte, isso se deve aos =&2=&, além da predisposição dos próprios animais em contrariem estas doenças, muitas vezes crônicas.

As doenças pulmonares são também responsáveis pelo =&3=& de grande parte dos cavalos atletas de suas atividades.

Em números exatos, pesquisas revelam que cerca de 25% dos cavalos de corrida já adquiriram pelo menos uma vez doenças respiratórios em maior ou menor grau.

O primeiro sinal de alerta de que o animal possa estar com alguma destas enfermidades está na respiração ofegante, principalmente depois das atividades físicas. Em seguida, perda de peso e queda no rendimento.

Sendo assim, é muito importante que o proprietário do animal, já nos primeiros sinais, submeta-o ao atendimento especializado.

O médico veterinário, então, deverá utilizar uma das mais importantes ferramentas de diagnóstico, que é a radiografia ou a ultrassonografia, dentre outros métodos de diagnóstico por imagem.

Ele deverá estar plenamente capacitado e atualizado na interpretação dos resultados e, assim, diante das informações, prescrever o melhor caminho para a cura.

O exame ultrassonográfico é útil para diagnostico, terapêutica e avaliação do prognóstico de doenças pleurais, além das doenças obstrutivas de equinos.

Mas, obviamente, tudo isso gerará um =&4=& com o tratamento do equino. E você não gostaria de gastar uma pequena fortuna se esse problema pudesse ser =&5=&, certo?

Mas como evitar doenças respiratórias no meu cavalo?

A boa manutenção da baia e da cama do cavalo são os principais fatores de =&6=&.

O erro mais comum é a utilização de materiais como maravalha (serragem), palhas, bagaço de cana, casca de arroz, capim, feno e outros como cama para o cavalo. O que a princípio parece ser algo sem importância, pode se tornar uma verdadeira dor de cabeça e gerar gastos bastante elevados com veterinários e tratamentos para o animal.

Isto porque estes materiais podem =&7=&

Falar com um consultor